sexta-feira, 23 de março de 2012

Ailton Krenak

O fundador da ONG Núcleo de Cultura Indígena, Aìlton Krenak, foi entrevistado em 24 de junho de 2010 pelo projeto Produção Cultural no Brasil. O vídeo, gravado e editado pelo Coletivo Multimídia Garapa, integra uma coleção de 100 entrevistas com gestores, artistas e realizadores culturais de diversas regiões do Brasil. O projeto é ponto de partida para o início de um processo permanente de discussão e reflexão sobre o que é, quem faz e como se produz cultura brasileira.

Mais informações sobre Aílton Krenak: producaocultural.org.br/slider/ailton-krenak/

Produção Cultural no Brasil: producaocultural.org.br

← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

Um comentário:

  1. Caros amigos, do brasil,acredito que empresas com responsabilidade socio-ambiental precisam se expandir mais num cenario nacional, há algum tempo que venho enviando meus emails para diversos orgãos publicos e privados, que relato um projeto simples que seria a parceria entre governo federal, municipal e as micro empresas,seria a construções de centenas de mercados municipais nas pequenas e médias cidades, onde famílias pequenas fabricas pequenos sítios teriam suas lojas nos boxes desses mercados, esta modelo de mercado vem desde a idade média com suas feiras onde os produtores vendem e trocam seus produtos, este modelo que temos hoje com os supermercados é totalmente nocivo a economia das pequenas e medias cidades, quem vende é somente as grandes empresas nacionais e multinacionais, que com uma fabrica e tecnolgia de ponta coloca seus produtos em quase todos os supermercados do país, minha cidade tem maios ou menos vinte mil família que gastam na média de 500 reais por mes, os donos dos super mercado e estas empresas retiram 10 milhões de reais por mes da cidade.
    Com as construções dos mercados teria um produto mais perto do consumidor, para vender neste mercado teria que ter um selo verde que ajudaria os sitiantes a preservar as nascentes e matas nativas, poderia assentar familias que estão nos movimentos de reforma agraria nestes boxes, que seria muito mais barato que desapropriar terras as comunidades indigenas também poderiam vender nestes mercados, poderia também as prefeituras comprar estes produtos para a merenda escolar.
    Diminuiria o custo com transporte um produto organico e de melhor qualidade em nossas mesas, culturas e produtos que ficaram de fora, neste processo afunilador voltariam, ervas medicinais, produtos tipicos de cada região também teriam seu espaço nestes boxes.abraços toninho campos mairiporã sp

    ResponderExcluir