quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Povos indígenas querem reconhecimento de suas línguas no Chile



A Rede pelos Direitos Educativos e Linguísticos dos povos indígenas do Chile convocou várias organizações para esta quinta-feira (21), para comemorar o Dia Internacional da Língua Materna.


Mapuches
Chilenos pedem reconhecimento das línguas indígenas 
Com marchas, concentrações, fóruns e outras manifestações, os grupos indígenas e pessoas comprometidas com a defesa das comunidades originárias no Chile se propõem, entre outros desafios, promover a aprovação de uma Lei de Direitos Linguísticos dos povos indígenas.

Além disso, exigir o reconhecimento das línguas indígenas como nacionais e oficiais em cada território, e promover a proliferação de espaços de ensino-aprendizagem das línguas originárias.

Na cidade de Temuco ao sul, na Região da Araucania, região de população mapuche, foi convocada uma grande marcha, que começará na Plaza del Hospital.

O Dia da Língua Materna ficou estabelecido pela Unesco em 1999 em homenagem aos jovens Abul Barkat, Rafiquddin Ahmed e Shafiur Rahman, baleados no dia 21 de fevereiro de 1952 durante uma manifestação que exigia o reconhecimento do idioma Bangla como uma das línguas oficiais do Paquistão.

Perda da cultura
A Rede pelos Direitos Educativos e Linguísticos dos povos indígenas do Chile considera que existe uma deterioração alarmante no uso e transmissão das línguas indígenas.

"É necessário voltar a utilizar as línguas: pedir às idosas e idosos que ensinem às meninas e meninos, pressionar o Estado chileno para que cumpra com as obrigações contraídas na assinatura de acordos internacionais que velam pelos direitos dos povos indígenas e suas línguas", afirmou a organização.

A Rede considera necessária a criação de escolas bilingues, e programas de educação intercultural para todos os cursos profissionais com pertinência cultural, entre outras medidas.

Fonte: Prensa Latina
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário